• Correio do Minho
Correio do Minho

Correio do Minho

Formulário de pesquisa

Mais de 77 mil espectadores na primeira Bienal de Arte Contemporânea BoCA

19/05/2017 18:42

Mais de 77 mil espetadores participaram na primeira Bienal de Arte Contemporânea - BoCA, que decorreu entre 17 de março e 30 de abril em Lisboa e no Porto, com a apresentação de 59 artistas de 20 países.

De acordo com um balanço hoje divulgado pela organização, a bienal apresentou nas duas cidades 19 estreias mundiais e 18 estreias nacionais daqueles artistas e, pontualmente, algumas criações em Braga e Castelo Branco.

No total, 77.204 espetadores estiveram em 29 espaços culturais - na sua maioria parceiros e coprodutores dos respetivos projetos - para assistir a 13 performances, nove espetáculos, 10 instalações, três exposições, seis concertos e cinco filmes.

Além desta programação, a BoCA - com direção artística de John Romão - realizou ainda seis oficinas, seis ´masterclasses´, oito conversas, um debate, e dois projetos educativos de longa duração.

O objetivo desta bienal é pensar o que é o contemporâneo a partir das práticas artísticas desenvolvidas por aqueles artistas, que criaram obras que deverão ser também apresentadas no resto do país e noutros países.

Como exemplo, a organização indica que Fatamorgana, criação da artista residente da BoCA Salomé Lamas, apresenta-se hoje no Cine Teatro Avenida, em Castelo Branco e em dezembro irá a Buenos Aires, com o apoio da Embaixada de Portugal em Buenos Aires e do Instituto Camões.

Em Évora, os também artistas residentes Musa Paradisíaca têm em exposição a Casa Animal, no Fórum Eugénio de Almeida, até 30 de junho.

Entre 07 a 16 de julho, a Casa Animal viaja até Viseu, ao festival Jardins Efémeros, sendo posteriormente apresentada em Braga, entre 01 e 03 de setembro.

Por seu lado, a exposição Toledo, de Tânia Carvalho, estará no Teatro Viriato, em Viseu, de 27 de maio a 14 de junho e alguns dos registos da Videoteca BoCA viajam até ao Centro de Documentação do Teatro Nacional São João, no Porto, ainda este ano.

Periférico, a primeira criação de palco de Alexandre Farto - artista conhecido como Vhils -, será apresentada em Ílhavo, em 2018, no âmbito do projeto 23 Milhas, da Câmara Municipal de Ílhavo.

Guia Prático para Artistas Ocupados, espetáculo da Crinabel Teatro/Digitópia, coproduzido pela BoCA com a Casa da Música, é reposto na Casa da Música em dezembro e, em 2018, apresenta-se no Centro Dramático Nacional de Madrid/Teatro Valle Inclán, em Madrid.

Ainda na difusão internacional, a organização salienta também, em Bruxelas, no Kustenfestivaldesarts, a apresentação de Endgame, da artista residente da BoCA Tania Bruguera, que teve início dia 16 e prossegue até domingo.

No âmbito do Programa Educativo 2017/2018 estreia-se a BoCA Summer School, escola de verão constituída por seis oficinas (pensamento contemporâneo, artes cénicas, artes plásticas, composição musical), que visam o aperfeiçoamento artístico e se destinam a jovens profissionais e estudantes de arte, entre os 18 e 35 anos.

A BoCA Summer School tem como entidades parceiras o Teatro Nacional D. Maria II, o Teatro Nacional São Carlos, a Fundação Calouste Gulbenkian, o Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado e o apoio da Fundação Gestão dos Direitos dos Artistas.

mapa do site

2010 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: New-Consulting