• Correio do Minho
Correio do Minho

Correio do Minho

Formulário de pesquisa

Empresas de pirotecnia dizem-se em risco e acusam Governo de eleitoralismo

20/08/2018 00:17

A Associação Nacional de Empresas de Produtos Explosivos insurgiu-se contra a medida preventiva decretada pelo Governo de proibir os espetáculos de fogo-de-artifício e outros do género, acusando o executivo de eleitoralismo.

O presidente da ANEPE, David Costa, declarou mesmo que, “tal como aconteceu no ano passado, o Governo volta a impor uma medida novamente desprovida de qualquer sentido prático, que se limita simplesmente a proibir sem ter em conta qualquer tipo de critério e sem informar previamente os representantes do setor”.

Segundo a ANEPE, “no início deste mês, no fim de semana de 4 e 5 de agosto, a proibição do uso de pirotecnia esteve novamente em vigor e as consequências são imensas e irrecuperáveis”, pois “há 40 empresas em risco de falência, que representam centenas de postos de trabalho”.