• Correio do Minho
Correio do Minho

Correio do Minho

Formulário de pesquisa

Rosa Vaz apresentou ‘Pele de Luz’ na Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva

04/11/2018 09:42

Até ao próximo dia 24 de Novembro, Braga transforma-se num palco privilegiado das artes e criatividade. A ilustração e o livro saem à rua em mais uma edição do ‘Braga em Risco’.

o ano em que se celebra a riqueza e diversidade do património cultural europeu, a ilustração portuguesa presta o seu tributo na terceira edição do Braga em Risco - Encontro de Ilustração.

Os recantos monumentais de Braga são recriados de uma forma singular, através da representação de 25 ilustrações de autores de renome nacional.

Monumentos como a Sé de Braga, a Arcada da Lapa, o Bom Jesus do Monte ou o Arco da Porta Nova foram recriados e apadrinhados por 25 notáveis ilustradores, criando uma espécie de compromisso entre o legado histórico e a criação artística.

Intitulada ‘Braga 22x22’, a exposição pode ser apreciada na Casa dos Crivos, constituindo uma espécie de ‘roteiro ilustrado’ do património da cidade. “É trazer os monumentos de Braga à luz dos 25 ilustradores convidados e de 25 pessoas que escreveram de uma forma criativa sobre esses monumentos. É uma exposição que acabará por ficar para memória futura como um olhar diferente de ilustradores sobre o nosso património que só vem enriquecer o fundo documental da cidade”, afirmou ontem a vereadora da Cultura, Lídia Brás Dias, na inauguração da 3.ª edição do ‘Braga em Risco’.

O circuito inaugural teve início no Museu da Imagem com a visita à exposição de Sara Feio denominada ‘Bruta’. A artista apresenta ao público o seu olhar sobre a natureza “onde nada é inteiramente claro”.

Na passagem pela Rua do Castelo, há um conjunto de exposições de livros de ilustradores portugueses e brasileiros que “aproximam a ilustração e o livro da comunidade”.

A vereadora da Educação e Cultura sublinhou que este “é o ano da consolidação do Braga em Risco”, frisando que a aposta na educação continua a ser a área de eleição do evento. “Trazermos as escolas às exposições, mas também levar os ilustradores às escolas, através da realização de oficinas e workshops”.

No ano de afirmação do evento, Lídia Dias acentua que o Braga em Risco “une gerações, artistas, linguagens e reforçam-se parcerias, nomeadamente com o IPCA”, lembrando que em 2020, o Encontro de Ilustração - Braga em Risco irá integrar a programação de Braga Capital da Cultura do Eixo Atlântico”.

Com um programa mais diversificado, a edição deste ano conta com a participação de 34 ilustradores nacionais e dois brasileiros que fazem as delícias das crianças, famílias e amantes da ilustração e do livro infantil.

O escritor e ilustrador, Pedro Seromenho, assinala mais um momento em que a ilustração sai à rua em três espaços - Edifício do Castelo, a Casa dos Crivos e o Museu da Imagem - que se transformam em palcos privilegiados de um programa rico em acontecimentos artísticos.

“Braga está a transformar-se numa urbe que conjuga várias nacionalidades com uma componente turística mais acentuada e as pessoas vêm ávidas de cultura e de saber”, realçando a forte presença de cidadãos brasileiros a residir na cidade de Braga que são “os maiores consumidores dos nossos acontecimentos e eventos culturais”, daí a presença de reconhecidos ilustradores brasileiros Roger Mello e André Neves.