• Correio do Minho
Correio do Minho

Correio do Minho

Formulário de pesquisa


Os Resistência regressam hoje com o álbum “Horizonte” ao fim de 22 anos


O CD “Horizonte”, que marca o regresso dos Resistência aos estúdios de gravação, após 22 anos de ausência, chegou ontem ao mercado, com onze canções resgatadas ao repertório de outros grupos.

O novo álbum da banda que reúne, entre outros, Pedro Ayres Magalhães e Tim, é editado pela Warner Music e constituído por canções originalmente interpretadas por grupos como os Rádio Macau, Xutos & Pontapés, Delfins e Madredeus e A Banda Cósmica.

O CD "Horizonte" é o resultado de “30 ensaios de 12 horas para escolher os temas, os intérpretes e distribuir os arranjos", disse Pedro Ayres Magalhães à Lusa.

"Os músicos iam-se substituindo de acordo com as horas e os dias em que podiam estar presentes”, recordou o fundador dos Madredeus, que sublinhou: “Mas eu estive sempre lá”.

"Ter a oportunidade de trabalhar com a Resistência produz sentimentos raros, não só pela dificuldade das agendas e pelas memórias que evoca mas principalmente pela música que se consegue produzir, única e cheia de personalidade”, afirmou por seu turno Tim, o vocalista dos Xutos & Pontapés, em declarações à Lusa.

Para Tim, “este disco é a celebração dessa descoberta, de que este som e esta mensagem se encontram inscritos no éter e que os podemos saborear se, para isso, estivermos dispostos”.

Entre as canções escolhidas estão “Vai Sem Medo”, do álbum “A Nova Aurora”, de Madredeus e A Banda Cósmica, “Cidade Fantasma”, do álbum “O Elevador da Glória”, dos Rádio Macau, “Ser Maior”, do álbum “Ser Maior, Uma História Natural”, dos Delfins, e “Deitar a Perder”, do álbum “XIII”, dos Xutos & Pontapés.

O projeto Resistência, em 2012, fez um reagrupamento, integrando os músicos Mário Delgado e Pedro Jóia, que estão também neste regresso da banda, com Alexandre Frazão, Dudas, Fernando Cunha, Fernando Júdice, José Salgueiro, Miguel Ângelo, Olavo Bilac, Pedro Ayres Magalhães e Tim.





Todos